Prolapso de Órgãos Pélvicos

prolapso

O QUE É
Prolapso genital, conhecido popularmente como bexiga caída, é um distúrbio provocado pela perda de sustentação não só da bexiga, mas também de órgãos como a uretra, útero, intestino, reto e segmentos vaginais por causa da fragilidade dos músculos que constituem o assoalho pélvico.As mulheres são mais suscetíveis à ocorrência de prolapsos, porque possuem dois hiatos centrais entre os orifícios da uretra, da vagina e do ânus, que promovem uma falha na musculatura elevadora do ânus e na musculatura coccigea, o que facilita a descida dos órgãos naturalmente suspensos na cavidade pélvica.

TIPOS E SINTOMAS
Os prolapsos genitais recebem denominações próprias conforme o órgão que se deslocou: cistocele (bexiga), uretrocele (uretra), uterino (útero), eritrocele (vagina), enterocele (intestino) e retocele (reto). A prevalência do prolapso genital é alta. Ele pode aparecer em todas as faixas de idade, mas mulheres multíparas a partir dos 60 anos correm risco maior de desenvolvê-lo.No início, o prolapso genital costuma ser assintomático. Com a evolução do quadro, porém, podem surgir um abaulamento na cavidade vaginal acompanhado de sensação de peso, que diminui em repouso e aumenta durante os exercícios físicos, e dor no baixo ventre (hipográstio). Nos prolapsos de bexiga, é comum ocorrer um comprometimento miccional que vai desde perda involuntária da urina até a impossibilidade de urinar. Quanto ao controle fecal, as queixas são tanto de obstipação intestinal, quanto de crises de diarreia e tenesmo, isto é, a sensação de uma falsa necessidade de ir ao banheiro com frequência.

CAUSAS
Gravidez e partos múltiplos, eventos que tornam mais flácidos e delgados os músculos do assoalho pélvico, assim como obesidade, envelhecimento, alterações hormonais, e certas doenças musculares, neurológicas e genéticas são as principais causas do prolapso genital. Entre todas, porém, a mais importante é o aumento da pressão intra-abdominal durante a gravidez e no trabalho de parto, haja vista que a passagem do bebê provoca ruturas nos músculos que sustentam os órgãos situados na cavidade pélvica.

TRATAMENTO
O tratamento fisioterapêutico em um grau inicial do prolapso consiste em treinamento do músculo do assoalho pélvico (períneo), biofeedback, cones vaginais e a eletroestimulação. Além destes recursos, mudanças no estilo de vida incluem a perda de peso e redução de atividades intensas que aumentam muito a pressão intra-abdominal. Em casos em que o prolapso encontra-se avançado é indicado o tratamento cirúrgico.

RECOMENDAÇÕES

  • Saiba que “bexiga caída” não é uma alteração ginecológica ou urinária que surge necessariamente com o envelhecimento e para qual não existe tratamento. Procure um médico tão logo apareçam os primeiros sintomas;
  • Não se descuide do pré-natal. Esse acompanhamento médico é fundamental para a saúde e bem-estar da gestante e do bebê;
  • Informe-se sobre os exercícios que podem ser realizados durante a gravidez e o puerpério  e que ajudam a fortalecer a musculatura do assoalho pélvico;
  • Evite o excesso de peso, especialmente durante a gravidez;
  • Lembre-se: exercícios físicos que promovem o aumento da pressão intra-abdominal são contraindicados para as portadoras de prolapsos genitais.