Pré e Pós Operatório Pélvico

Pré e Pós Pélvico

CIRURGIAS REALIZADAS NA PRÓSTATA
A próstata, glândula de dimensões diminutas, localizada na base da bexiga, pode ser sede de dois processos distintos. O primeiro é o crescimento benigno, chamado de hiperplasia, que acomete quase 90% dos homens após os 40 anos e que produz dificuldade para a eliminação da urina. O segundo é o câncer de próstata, que surge associado ou não ao crescimento benigno e que se manifesta quase sempre depois que os homens completam 50 anos. O câncer de próstata é o tumor mais freqüente no homem brasileiro.

No homem é freqüente a incontinência urinária após as cirurgias de ressecção transuretral da próstata (RTU) e a prostatectomia radical, utilizadas amplamente no tratamento de hiperplasia benigna da próstata e no câncer de próstata. A freqüência da incontinência urinária varia dependendo do tipo de cirurgia e da técnica cirúrgica, mas tende a melhorar de um a dois anos depois. Entretanto, alguns pacientes permanecem com esse quadro por toda a vida.

O tratamento fisioterapêutico consistirá em exercícios para o assoalho pélvico e eletroestimulação. Os benefícios da fisioterapia quanto aos sintomas urinários são: a diminuição da perda urinária; aumento do intervalo entre as micções e, conseqüentemente, diminuição da freqüência urinária; diminuição do grau de incontinência e também maior satisfação dos pacientes quanto à qualidade de vida. Além disso, a fisioterapia no pré e pós-operatórios logo após a retirada da sonda vesical mostrou-se mais efetiva do que apenas a fisioterapia tardia após a cirurgia ao reduzir o tempo para a obtenção da continência, sendo seus melhores resultados nos primeiros quatro meses do pós-operatório. Importante assinalar que a reeducação do assoalho pélvico (músculo perineal masculino) com trabalho da fisioterapia deve ser considerada como a primeira opção no tratamento da incontinência urinária pós-prostatectomia radical.

CIRURGIAS REALIZADAS NO PERÍNEO
As principais cirurgias realizadas no períneo são as correções para incontinência urinária, prolapsos de órgãos pélvicos e a popular perineoplastia que é uma cirurgia plástica íntima, onde a região perineal é reconstruída. Este procedimento costuma ser realizado em mulheres que tiveram laceração da musculatura da vagina.
Mesmo nos casos cirúrgicos a fisioterapia é extremamente importante já que o períneo é formado por fibras musculares que precisam ser fortalecidas para uma melhor recuperação da paciente e resultado da cirurgia.