Depoimentos

Saiba como a Fisioterapia Uroginecológica pode ajudar a resolver vários problemas de saúde:

P.S, professora, 27 anos

Sou casada ha um ano e logo que fui tentar ter relação sexual descobri que não conseguia ter penetração completa. Sentia me frustrada e triste. Eu tinha muito medo e principalmente de sentir dor. Eu e meu esposo, pesquisamos e encontramos a Dra. Rosana no site. Liguei para ela e iniciei o tratamento com fisioterapia ginecológica. Em apenas 10 sessões consegui ter a penetração completa. Sou eternamente agradecida pela sua ajuda. Uma excelente profissional. Obrigada doutora.

G. S. C., Universitária, 24 anos

Foram nove anos tentando ter uma relação sexual “normal” com penetração. Não conseguia. Inclusive, fiquei grávida e fui questionada por uma obstetra que dizia ser “impossível” o que eu relatava. Passei por um longo tratamento psicológico, mas nada que quebrasse o ciclo Medo-Tensão-Dor. Encontrei a Dra. Rosana e começamos o tratamento. Com esforço, perseverança e muita confiança no trabalho dela o resultado foi sucesso total. Hoje, nada de dor e sofrimento. Todos aqueles anos de tristeza e frustração ficaram para trás.

I. N., Professora, 37 anos

Tenho 19 anos de casada, mas nunca havia conseguido ter penetração e mesmo assim engravidei de gêmeas. Daí de 3 anos para cá, meu esposo pediu para que eu me tratasse. Uma amiga me indicou a Dra. Rosana, pois já havia tratado do mesmo problema. Mas eu relutei em procurar ajuda. Só esse ano que tive coragem. Me tratei e em menos de 10 sessões de fisioterapia consegui ter penetração e agora estou completamente curada.

L. A. C., Administrador Agropecuário, 59 anos

Quando descobri que teria que fazer uma prostatectomia radical (cirurgia da retirada total da próstata em função de câncer) me indicaram o tratamento de fisioterapia com a Dra. Rosana Neves. Então fiz o tratamento pré e pós-operatório para evitar ou diminuir a incontinência urinária causada pela cirurgia. Foi muito importante ter investido nesse tratamento, pois hoje não preciso usar frauda, estou com meu organismo saudável e minha urina totalmente controlada.

T., Assistente Administrativo, 24 anos

Tenho 24 anos e me casei virgem há 5 anos atrás. Sempre tive muito medo de perder a virgindade por causa das atrocidades que as pessoas falavam, que a dor era terrível. Por isso, no início do meu casamento, achei que era normal a dor que sentia na relação sexual, mas comecei a perceber que ela não estava diminuindo com o tempo, nem exame ginecológico eu conseguia fazer sem sentir dor. Os primeiros médicos ginecologistas que procurei me disseram que era normal, que poderia ser uma infecção, mas mesmo com os tratamentos e medicações a dor não melhorava. Então vi uma entrevista do Dr. Dráuzio Varela no Fantástico e na mesma hora me identifiquei com as mulheres da reportagem que sofriam de vaginismo. Comecei a pesquisar, mas só ouvia falar de tratamento psicológico. Quase um ano de pesquisa, já estava decidida a comprar um kit de tratamento do vaginismo, e encontrei o site da Dra. Rosana Neves. Comecei o tratamento fisioterapêutico e foi libertador! Fiz 10 sessões e hoje estou completamente curada. Agradeço a Deus, ao meu marido que sempre me apoiou e à Dra. Rosana que teve a paciência, atenção e respeito para me tirar desse problema.

M. M., Atendente, 23 anos

Me casei virgem há mais de dois anos e desde a minha primeira relação sofria com dores insuportáveis. Pensava não existir tratamento para esse tipo de problema, foram dois anos de muito choro até que através de um site de buscas encontrei a Dra. Rosana Neves. Na primeira consulta ela fez um diagnóstico preciso: dispareunia. Fiz 10 sessões e todos os exercícios indicados por ela, e hoje, graças a Deus e à Dra. Rosana estou curada do meu problema. Agradeço muito a Dra. Rosana pela sua excelência e profissionalismo, e por realizar seu trabalho com tanta dedicação e respeito.

R.L., do lar, 24 anos

Estou casada há 7 anos, tive um filho há 10 meses e desde que casei sentia dores na relação. Cheguei ao ponto de não querer mais saber de ter relação sexual, até que resolvi procurar na internet se havia solução para meu problema. Foi quando descobri a Fisioterapia Uroginecológica e achei a Dra. Rosana Neves. Foram apenas 10 sessões e acabaram as dores. Nem precisei de acompanhamento psicológico como algumas informações da internet indicavam, pois o problema era apenas fisiológico.

M.C.A.P, estudante, 22 anos

Procurei a fisioterapia porque desde a minha primeira vez, eu nunca conseguia manter uma relação sexual normalmente. Aquele "sofrimento inicial" de quando se é virgem perdurou por anos, mesmo eu tendo parceiro e tentando me relacionar sempre. Foram muitas tentativas, já havia passado por três ginecologistas diferentes, passei até um susto com suspeita de HPV, mas por fim todas elas afirmavam que estava tudo bem com a minha saúde, eu não tinha nenhuma doença que justificasse as dores. Passei também por sexólogo, ele afirmou que eu não carregava nenhum trauma, até que finalmente um dia descobri que existia esse tipo de fisioterapia e encontrei a Dra. Rosana através do site dela. Foi uma mudança incrível no meu relacionamento, eu consegui finalmente encarar a penetração como uma coisa normal. Tem que obedecer, não faltar as sessões e fazer os exercícios. Eu confiei. Graças a Deus encontrei uma profissional muito confiável. Fez efeito e dentro do tempo estipulado por ela. Tudo era consequência da tensão dos meus músculos, por causa da minha natureza - sou sempre muito tensa. Meu parceiro percebeu a musculatura vaginal e hoje levo uma vida sexual normal para uma pessoa da minha idade. Estou muito feliz!

D.S.M.P, médica, 47 anos

Após histerectmia iniciou incontinência urinária severa, usando de três a quatro fraldas por dia. Realizadas duas cirurgias para correção (sling) sem melhora nenhuma. Iniciei a Fisioterapia Uroginecológica e ainda estou em tratamento, mas agora estou usando um absorvente por dia.

M.I.O, autônoma, 49 anos

Impressionante como a fisioterapia mudou meu dia a dia. Coisas simples como espirrar e tossir, mas que às vezes me constrangia pelo fato de eu perder urina nessas ocasiões, hoje não tenho mais esses constrangimentos. Sem contar que minha vida sexual está muito melhor.